Veredas e sua importância no sistema de drenagem hidrográfica


As veredas têm sido estudadas sobre diversos aspectos (condições edáficas, importância hidrográfica, resiliência, florística e legislação) em diferentes regiões no Brasil. Nesta perspectiva, os pesquisadores ao longo dos anos vêm procurando demostrar suas particularidades, inclusive conceituando como sistemas úmidos comuns em áreas de Cerrado no Brasil Central, de ocorrência nas formações areníticas do Chapadão das Gerais, e estendem-se pelas bacias dos rios Parnaíba, São Francisco, Grande, Tocantins, Araguaia, Paraná, até regiões do Triângulo Mineiro, Alto Parnaíba e Paracatu. E demostram que a vegetação destes sistemas é resultado da influência do gradiente nutricional, disponibilidade de água, condições de solo e sazonalidade climática, em que demostram a importância e baixa resiliência em processos de

antropização ao longo dos anos.


Estes sistemas caracterizam-se por apresentar vegetação herbácea-subarbustiva com espécies das famílias Cyperaceae, Droseraceae, Eriocualaceae, Lentibulariaceae, Poaceae, Orchidaceae, Melastomatsaceae e outras, podendo estar associados à ocorrência de Mauritia flexuosa L. f. (buriti) e Mauritiella spp. (buritirama), espécies importantes para a manutenção da biodiversidade e dos mananciais hídricos, contribuindo para perenização de rios e córregos, de grandes bacias hidrográficas no Brasil.

Figura 1-Veredas no Rio Branco no município de Barreiras-BA.


De acordo com o Código Florestal Brasileiro, Lei n° 12.651/2012, Art. 3... XII, a vereda é definida como fitofisionomia de savana, encontrada em solos hidromórficos, usualmente com a palmeira arbórea Mauritia flexuosa - buriti emergente, sem formar dossel, em meio a agrupamentos de espécies arbustivo-herbáceas. Esta mesma legislação também determina para as veredas, a necessidade da delimitação de Áreas de Preservação Permanente (APP´s) em zonas rurais ou urbanas, conforme descrito no Art. 4... XI - em veredas, a faixa marginal, em projeção horizontal, com largura mínima de 50 (cinquenta) metros, a partir do espaço permanentemente brejoso e encharcado.


Estes ambientes são de fácil delimitação na paisagem conforme definição legal, fisionomia típica, sempre associada ao afloramento de água. O Manual Técnico de Geomorfologia (IBGE 2009) classifica vereda como zona deprimida de forma ovalada, linear ou digitiforme dentro de área estruturalmente plana ou aplanada por erosão que resulta de processos de exsudação do lençol freático, cujas águas geralmente convergem para um talvegue, assinalada por vegetação típica, caracterizada por palmeiras de diferentes espécies, particularmente buritis, podendo conter áreas com turfa. Descrevendo ainda que, a sua ocorrência está associada às chapadas das bacias e cobertura sedimentares, bem como em planaltos pertencentes a outras áreas sujeitas à atuação de sistemas morfoclimáticos de cerrado. O Manual Técnico de Pedologia (IBGE 2007) relaciona a ocorrência de veredas a solos hidromórficos e ambientes de muita umidade.

Figura 02 -Veredas no Rio Grande no município de São Desidério-BA


As diferentes fontes de consultas sobre as veredas, trazem informações convergentes sobre suas definições, importância e proteção. Neste sentido, é importante destacar que estes ambientes podem ser utilizados em situações particulares, de utilidade pública e que tragam benefícios para a coletividade; contudo, qualquer interferência nestes ambientes, devem partir do “Princípio de Precaução” com o menor impacto negativo possível e com mitigação de danos ambientais, sempre precedido da autorização dos órgãos de regulação ambiental, conforme previsão legal.


De uma maneira geral as veredas e suas APPs, são locais de alta diversidade biológica, funcionam como habitats de diferentes espécies, importante para alimentação, reprodução e nidificação da fauna silvestre no Cerrado e de ambientais ecotonais.


O status atual sobre os estágios de conservação destes ambientes em diferentes estados no Brasil, apresentam diferenças. Esta condição, deve-se a diferentes fatores, sendo o de maior impacto o fogo, que de maneira sistêmica e predatória tem interferido nestes sistemas.


Entre as ferramentas importantes para a proteção destes ambientes e trazidas pelo Código Florestal é o Cadastro Ambiental Rural (CAR) e o Programa de Regularização Ambiental (PRA), cuja adesão é obrigatória nos empreendimentos rurais. Estas adesões são fundamentais inclusive para correção de passivos ambientais nos empreendimentos rurais.

Vale ressaltar, que no Brasil, as veredas são protegidas pelos Estados e Municípios com a referência legal fundamentada na legislação federal, conhecida nacionalmente como o Código Florestal Brasileiro.


Alessandra Chaves

Bióloga, Doutora em Botânica, Pós-Doutora em Disponibilidade Hídrica e cumprimento do Código Florestal.







Eneas Porto

Geógrafo, Mestre em Ciências Ambientais.








Fotos: Arquivo interno da Associação de Agricultores e Irrigantes da Bahia


53 visualizações
zapzap-01.png

mensagem direta

R. Afonso Pena, 500, Sala 703
Centro, Unaí - MG, 38610-074

maps-01.png
linkedin-01.png
insta-01.png
face-01.png

©2020 IRRIGANOR

Criado por STUDIO DVÖS